Eu vi: 50 Tons de Cinza

Olá, meus caros...

Antes de mais nada tenho que explicar esse novo espaço no blog. Bem, aqui falaremos de lugares ou eventos que fomos, que descobrimos, que acontecerão, ate mesmo depoimentos de outras pessoas, amigos e etc. E também filmes, estreias, series, e vídeos divertidos. Espero que gostem!


EU VI, 50 TONS DE CINZA


Então, meus queridos, pela primeira vez fui em uma estreia. Ai meu Deus, foi magnífico! Sabe quando você ama uma comida que quase ninguém conhece? E você chega em um restaurante onde todo mundo ama a mesma comida que você? Me senti exatamente assim, as pessoas falavam dos livros, expectativas, próximos filmes... A sala lotou, e a maioria do público era feminino, estava cheio de melhores amigas, o que achei mais legal ainda, porque também fui com a minha melhor amiga.

Enfim depois de tanta espera o preciosos símbolo da Universal apareceu, depois da Focus e tudo ao redor se silenciou, não ouvia a respiração de mais ninguém.

Estreias sempre são mágicas não é? Você aguarda tanto tempo, relendo os livros, imaginando detalhe por detalhe. É um âmago de emoções e expectativas. É comparável a uma gravidez, porem um tempo maior, a ansiedade da mão a espera do seu filho, imaginando a forma do seu rosto, do sorriso... É tudo esplêndido. E lá estava eu, quase sem conseguir respirar, sem tocar na pipoca, o refrigerante ao meu lado simplesmente ficou esquecido, era apenas Anastasia e Christian na minha frente.
É fascinante, você começar a perceber cada detalhe, tudo o que você leu e imaginou, ser real. Ser palpável.
*Como Seattle 

*O escritório do Sr. Grey

*O Figurino


As falas, as frases marcantes, faladas pelos personagens marcantes do livro. AAHHH são tantas belezas. Mas então, sobre o filme? Não sei mesmo o que sentir mesmo agora em relação a ele, é uma mistura de decepção e paixão. Sim, teve as cenas necessárias e todo o contexto foi interessante, massssss nossa querida Sam Taylor (Diretora) fez algo que deveria ser crime: Ela, em vez de apenas apresentar as cenas importantes e principais, tentou fazer uma junção das cenas, sabe, duas em uma. E isso cagou tudo. (me desculpem tamanha falta de respeito e poluição visual e sonora de sua pessoa, mas não há definição melhor) Isso de fazer uma junção de duas cenas, ou partes do livro é uma tolice, pois, fica diferente e confunde tudo, em diversas vezes eu vi cenas do livro que eu lembrava, porem tomavam outro rumo e depois já estava perdida, sei que isso não dá certo em hipótese alguma pois temos Dezesseis Luas como exemplo, sofreu do mesmo mal. Não que os filmes sejam ruins, os diretores que foram. Mas okay, não iremos apedrejar essa santa mulher, pois ela não fez tanta porcaria assim. 
O filme começou um pouco ruim, mas melhora, ele vai ficando melhor e toma rumo a um final maravilhoso, esplêndido, encantador, imensuravelmente bom, digno de aplausos em pé, de joelhos, de costas. Realmente, o final foi espetacular. E valeu por tudo feito no início. 


Outros dois pontos que eu chorei sangue pela falta de interesse dos produtores foi os detalhes, okay, muita gente não se importa com cor de blusa ou a forma como o objeto esta colocado, mas não é bom ver isso? Você sabe que eles se importaram e pensaram em tudo por você, é uma forma de se sentir amada. Não, não faltou diversos detalhes, o escritório e casa do Christian estavam uma perfeição, mas teve outros detalhes básicos e que deixaram o livro mais perfeito, detalhes tão essenciais para os fãs pelo menos. Como o chá da Anastasia, aquele que o Christian faz questão de comprar por saber que é o chá favorito dela. A forma como ela toma. 


AGORA VEEEEEEEEEM, o que eu achei de melhor, nossa (clap, clap, clap, clap) a atuação de nossos queridos atores, tudo bem que teve muita gente feia, vou te contar, o José não era o Deus grego que Ana descrevia no livro, mas ele não é importante certo? Certo. A nossa querida Datoka, nossa, onde essa mulher se escondeu? Ela é a Anastasia da ponta do cabelo ao dedão do pé, em todo o momento do filme eu via a Ana, na forma de falar, de andar, de agir. A atriz que fez a Katherine Kavanagh (melhor amiga da Anastasia) também era perfeita, toda a euforia da Katy foi passada pela personagem. 
Então... Dakota arrasou e isso tirou um pouco o foco da atuação não tão esplêndida do Jamie Dornan... Ele basicamente seguiu a linha de evolução do filme, no início ele parecia estar sorrindo todo o tempo, e o mistério do Sr. Grey parecia não existir, mas ele melhorando sim, e muito, e em poucos, mas marcantes momentos podemos ver, por exemplo, a cara de menino ou de adolescente que a Ana tanto descreve no livro. Ele deixou muito transparecer... 


Então. Depois de tudo isso não deu para decidir o que sentir ou pensar, apenas mais emoção, ansiedade e muito, muito mais expectativa para o segundo filme da trilogia, que será ainda mais arrasador, eu sei. #CinquentaTonsMaisEscuros
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

1 comentários:

Clique aqui para comentários
17 de fevereiro de 2015 15:58 ×

O filme é ótimo, atores excelentes, bem fiel ao livro, sem pornografia (sendo sincero, queria mais explicito), mas ficou bem curto :/

jovens-leitores-brasil.blogspot.com.br

Parabéns Bruno Radcliffe.
Responder
avatar
Obrigado pelo seu comentário